Produtividade na obra

O steel frame chega trazendo inúmeras vantagens. Saiba quais são elas

 Altamente difundido nos Estados Unidos e Chile, steel frame é um sistema construtivo que utiliza uma estrutura composta por perfis de aço leve com chapas de madeira, conhecidas como OSB, fazendo o contraventamento. Inovador e ainda pouco conhecido no país, traz diversas vantagens para o canteiro de obras: facilidade nas instalações elétricas e hidráulicas, precisão nas medidas, menor tempo de obra, desempenho acústico e térmico superior, além de ser ecologicamente correto.

A Construtora Monreal, comandada pelo administrador Guido Garcia e pelo engenheiro Cassiano Garcia, que atua há mais de uma década com construções residenciais de alto padrão em alvenaria convencional, acaba de lançar a sua primeira residência utilizando o sistema construtivo em Curitiba. A show house está situada dentro do Condomínio Paysage Curityba, no bairro São João.

Para Guido Garcia, a tecnologia do frame é um passo inevitável para a construção no Brasil. “Hoje a mão de obra não é mais barata como antigamente. Os prazos são cada vez mais importantes para os clientes e também o desempenho das residências deve atender a um público cada vez mais seletivo”, opina. Uma das facilidades para implantar o sistema agora no país é que os componentes mais relevantes já são produzidos no Brasil com qualidade e preço competitivo – antes tudo era importado.

O administrador destaca que, embora o steel frame ainda tenha um custo mais elevado do que o sistema convencional, o valor é compensado pela agilidade. “Muitos clientes já chegam na construtora perguntando pelo sistema, sem precisar de qualquer convencimento. A aceitação tem sido muito boa e o cenário tende a ser muito favorável, em um curto espaço de tempo”, salienta Guido. Para se ter ideia, antes mesmo do lançamento da show house, já havia cinco obras para começar até o final de 2014.

Show house

A ideia de construir uma casa utilizando o steel frame antes mesmo de oferecer ao consumidor partiu dos sócios, que quiseram conhecer na prática os desafios do modelo de construção. O escritório Campanelli Sano Arquitetura e Design, das arquitetas Andrea Sano e Lisandrea Campanelli, ficou responsável pelo projeto arquitetônico. “Quando falamos em steel frame a imagem que vem à cabeça é a de uma clássica casa colonial norte americana”, diz Cassiano Garcia. Ele conta que ao convidarem as arquitetas para assinar o projeto, pediram algo totalmente diferente, com uma concepção mais contemporânea com a utilização de diversos tipos de revestimentos para demonstrar todas as possibilidades de uso no sistema. O projeto conta com pé direito duplo de quase sete metros, marquises de pequena espessura, mezanino, guarda-corpos em vidro fixados por bottons, escada vazada e engastada dentre outros detalhes.

O projeto de interiores da casa é assinado pela arquiteta Fernanda Moura Borio. “Diferente de uma obra em alvenaria, a possibilidade de planejar melhor o mobiliário se dá pela exatidão das medidas das paredes”, explica a arquiteta. Essa precisão permite a produção do mobiliário durante a obra, o que acelera a finalização do projeto. Ainda segundo ela, por ser mais flexível do que a alvenaria e ter um acabamento mais fino, a construção em steel frame confere à obra um padrão superior, com paredes mais uniformes. Toda a fixação de mobiliário nas paredes se dá através de parafusos que podem suportar até 150 kg cada e na maioria dos casos, não se faz necessária a utilização de buchas ou parafusos especiais.

Ecologicamente correta, a tecnologia utiliza aço 100% reciclável. A construção é feita com baixo consumo de água e reduz o entulho gerado, que na sua maioria pode ser reutilizado ou reciclado. Além disso, com as rigorosas mudanças de temperatura que tem ocorrido nos últimos tempos, a opção do steel frame pode trazer além do conforto térmico uma redução considerável no consumo de energia decorrente de climatização dos ambientes.