Museu Oscar Niemeyer recebe a exposição “Genesis”

Mostra que já rodou o Brasil chega hoje em Curitiba

O Museu Oscar Niemeyer (MON) inaugura hoje, quinta-feira, às 19 horas, a exposição “Genesis”, do fotógrafo Sebastião Salgado. A mostra segue até o dia 15 de março de 2015 no MON. Ainda no dia 6, às 16h30, haverá uma palestra com o fotógrafo no auditório do Centro de Convenções de Curitiba. A entrada é gratuita e não é necessário fazer inscrição. A capacidade do auditório é de 1.300 pessoas. 

Com curadoria de Lélia Wanik Salgado, a mostra é o resultado de oito anos de trabalho e reúne 245 imagens selecionadas. O visitante pode observar as 

fotografias com temas como montanhas, desertos, florestas, tribos, aldeias, animais. 

Fruto de mais de 30 viagens, a mostra traz ao público ambientes que ainda não foram atingidos pela vida moderna e que se mantêm intactos na natureza. A mostra “Genesis” é dividida em cinco partes, em seus respectivos ecossistemas: 

Planeta Sul 

A Antártica, suas paisagens congeladas e seus animais foram fotografados na Península Valdés. Também estão nessa seção imagens do Sul da Georgia, as Falklands/Malvinas, o arquipélago Diego Ramirez e as Ilhas Sandwich. 

Santuários 

Abrindo com as paisagens vulcânicas e a fauna das Ilhas Galápagos, “Santuários” engloba ainda as populações anciãs da Nova Guiné e Irian Jaya, os Mentawai da Ilha Siberut (nos arredores da província de Sumatra, na Indonésia), e paisagens, vida selvagem e vegetação dos diferentes ecossistemas de Madagascar. 

África 

“África” abrange uma grande variedade de imagens da vida selvagem do Delta de Okavango, na Botswana, até os gorilas do Parque Virunga, na divisa de Ruanda, Congo e Uganda; do grupo Himba, da Namíbia, e dos tribais Dinkas do Sudão, até a população do Deserto Kalahari em Botswana; das tribos do Omo Sul, na Etiópia, até as antigas comunidades cristãs do norte da Etiópia. Na África, revelam-se numerosos desertos, com suas cores e texturas. Em algumas imagens capturadas na Líbia e na Argélia, veem-se sinais de vida, não somente cactos e roedores, mas também na arte rupestre datada de milhares de anos.

Terras do Norte 

Mostra as visões do Alasca e do Colorado, nos Estados Unidos, e as paisagens naturais do Parque Nacional Kluane, no Canadá. Está aqui também o extremo Norte da Rússia. Amazônia e PantanalA enorme floresta tropical é cortada pelo rio Amazonas e seus afluentes – e o desenho lembra uma gigantesca árvore da vida. Seguindo em direção ao Norte para capturar os Tepuis Venezuelanos, as mais antigas formações geológicas na terra, a seção inclui ainda as imagens da vida selvagem do Pantanal no Mato Grosso.

Genesis 

A documentação, que também resultou em um livro de nome homônimo, já passou por museus dentro e fora do Brasil. Suíça, França, Itália, Inglaterra e Canadá são alguns países que receberam a mostra. China, Coreia, Alemanha e Portugal vão recebê-la em 2015. 

No Brasil, São Paulo, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro já receberam a exposição. Em Curitiba, o público pode conferir a mostra até março de 2015 no Museu Oscar Niemeyer. Na obra de Sebastião Salgado, este é o terceiro mergulho de longa duração em questões globais. As primeiras foram “Trabalhadores” (1986-1992) e “Êxodos” (1994-1999), que retrataram as duras consequências das radicais mudanças econômicas e sociais sobre as vidas humanas. 

Serviço 

Exposição “Genesis” – Sebastião Salgado 

Abertura: dia 6/11 (quinta-feira), às 19h. 

Data: de 6 de novembro de 2014 a 15 de março de 2015 

Local: Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico – Curitiba) 

Entrada: R$6 e R$3 (meia-entrada). Terça a domingo, das 10h às 18h 

 

Palestra com Sebastião Salgado 

Data: 6 de novembro de 2014, às 16h30 

Entrada: Gratuita, capacidade para 1.300 pessoas. 

Local: Auditório do Centro de Convenções de Curitiba (Rua Barão do Rio