Mármores e granitos

O que está em alta

Pedras exóticas da Gramarcal dão show de estilo na Casa Cor Paraná.

Atuando como coadjuvantes ou atração principal, as pedras da Gramarcal deram um show de estilo na Casa Cor Paraná. Confira os ambientes e o material que foi utilizado em cada um deles.

O espaço que marcou a estreia do festejado arquiteto Guilherme Torres na Casa Cor Paraná colocou a informação arquitetônica sob a luz dos holofotes, com referências que vão do gênio Mies van der Rohe à diva do estilo Diana Vreeland e ao glam do escritor Truman Capote. Um ambiente que celebrou o lifestyle dos grandes articuladores da imprensa deluxe. A área de 70 metros quadrados foi encapsulada com ares museográficos, onde pontos de luz, sancas e curvas desapareceram. “Com paredes brancas, piso de carvalho e luz difusa, imaginamos um espaço contemporâneo, sem marcações de layout”, explica Guilherme Torres, evocando o arquiteto alemão Mies van Der Rohe, que cunhou o “less is more” e provou que a frieza e o minimalismo não têm absolutamente nenhuma relação entre si, ao explorar materiais extravagantes em efeitos geométricos puristas. O luxo está na verdade dos materiais, presente em paredes revestidas com exóticos mármores brasileiros em tons de âmbar, verde e vermelho, todos da Gramarcal.

 

Os arquitetos Maria Alice Crippa e Gustavo Assis criaram a adega, com 22 m², inspirados em um jovem casal que adora viajar e rodar o mundo em busca de bons vinhos. A ideia foi levar requinte ao espaço, fugindo dos padrões tradicionais rústicos do ambiente. A proposta baseou-se na simplicidade do traço e nas linhas retas como marca registrada, enfatizadas pela estrutura em Persa Fendi da Gramarcal, que contorna toda a parede, criando uma linguagem peculiar de pureza e funcionalidade.

 

Neste ano, o arquiteto Ivan Wodzinsky assinou o luxuoso Living, um ambiente singular e pautado por elementos de riqueza artística. Para dar forma à tríade de sobriedade, atemporalidade e elegância, o profissional confiou na valorização de materiais nobres – como o Silver Dragon, da Gramarcal, utilizado nas paredes do ambiente.

 

As arquitetas Mariana Stockler e Carolina Posanske trabalharam com tons bem claros, pois queriam que quarto e closet ficassem muito acolhedores. Os destaques são a cabeceira em placas de couro alinhadas ao ripado vazado na marcenaria e a lareira em pedra Gramarcal Elegance White com ripado iluminado na parte posterior.

 

Na sala de Fernanda e Carla Heller, os dois ambientes integrados são funcionais, para facilitar a circulação. O guarda-louças e a cristaleira, juntos, agregam funcionalidade ao serviço de mesa. Mesmo não sendo mais uma novidade, as biolareiras ecológicas, com câmara de combustão que utilizam bioálcool, estão presentes, instaladas no conjunto de pedra Gramarcal Bege Supreme. 

 

A arquiteta Viviane Tabalipa criou o Café para a Casa Cor Paraná 2016, um espaço de 140 m². O fato de ele estar locado onde eram as rotativas do jornal O Estado do Paraná a levou a trabalhar com um estilo mais industrial, mantendo a estrutura aparente de telhado, luminárias existentes e piso em concreto. Aqui a profissional aplicou o Compactstone Concrete da Gramarcal, para criar o efeito que acentuou ainda mais a atmosfera pretendida.

Fotos Marcelo Stammer e Rodrigo Ramirez