Liberdade para os pequenos

Mais liberdade e estímulos para a criança a partir da decoração: essa é a proposta do quarto Montessoriano. Saiba como apostar nessa ideia com as dicas da arquiteta Luciana Koehntopp

Desenvolvido por Maria Montessori, o Método Montessori foi criado em 1907. Educadora, seu método propunha a criação de um ambiente de aprendizado mais criativo e livre para a criança. Seu trabalho enfatiza a importância da criação de um espaço adequado para o desenvolvimento, capaz de permitir a livre expressão de suas capacidades e habilidades. A partir de suas próprias experiências, proporcionadas por esse ambiente estimulante, a criança desenvolve-se de forma espontânea e criativa. 

O quarto Montessoriano tem se tornado uma opção interessante para os pais que buscam alternativas inovadoras. A proposta, que parte da premissa de que o espaço, uma vez que é destinado para os pequenos, deve ser pensado para o uso deles próprios, tem ganhado cada vez mais adeptos, crescendo como uma possibilidade decorativa e funcional. 

Estímulos e mais estímulos 

O primeiro passo a ser dado na hora de apostar na proposta montessoriana é abandonar o berço. A peça, que limita a criança e não permite a total exploração do espaço, deve ser substituída por um colchão no chão e, mais tarde, por uma cama infantil bem baixinha, que não limite os pequenos. Outro aspecto da proposta é a disposição da mobília no ambiente. “O quarto precisa estar em constante transformação, seguindo os interesses das crianças”, explica a arquiteta Luciana Koehntopp. “Por isso, o mobiliário, com exceção do guarda roupas, não deve ser fixo”, completa. 

Uma dica interessante é fazer uso de caixas abertas e nichos coloridos, que devem estar ao alcance das crianças. “Colocados sobre o chão como organizadores, possibilitam o acesso fácil aos brinquedos e, futuramente, podem ser pendurados nas paredes”, aponta Luciana. As estantes localizadas no espaço também devem estar à mão, sempre possibilitando a descoberta. 

Outra ideia consiste em acrescentar no ambiente um confortável tapete para brincadeiras. Cores vibrantes são as ideiais para colorir a peça, que pode ser criada a partir da montagem de um quebra-cabeça gigante em EVA. Mesinhas e cadeiras também são boas opções para compor o espaço montessoriano, assim como um cantinho repleto de livros, à altura das mãos, que permita a exploração e o descobrimento. A elaboração de um mural de feltro no ambiente é uma alternativa simpática para estimular a criatividade do pequenino dono do quarto. “Outra ideia é usar tinta para quadro negro para criar um cantinho para desenhos na parede”, sugere arquiteta. 

Como todos os componentes do quarto devem estar ao alcance das mãos dos pequenos, é essencial que se tenha o máximo de cuidado com o mobiliário escolhido. Mesinhas, cadeiras e todo o restante da mobília devem ter os cantos arredondados. Todo e qualquer material que ofereça perigo à criança devem ser evitados.