Dicas para utilizar cortinas e persianas

Conheça a importância dessas peças coringas e saiba como escolhê-las

Existem itens que são essenciais para qualquer lar. Dois deles são as cortinas e persianas. Por quê? O principal motivo é a multifuncionalidade. Além de exercerem papel decorativo, servem para trazer privacidade e bloquear a entrada do sol ou do vento, por exemplo. E por terem se tornado tão importantes com o passar do tempo, as cortinas e persianas deixaram de ser meras coadjuvantes em casa, ganhando novos modelos, cores, tecidos e texturas. 


Projeto das arquitetas Carolina e Denise Leal Ribas no qual as persianas bloqueiam parcialmente a entrada de luz e condizem com o ambiente sóbrio e leve / Foto: Marcelo Stammer 

Porém, essa variedade pode acabar confundindo algumas pessoas. Por isso, é preciso ter cuidado na hora de escolher e pensar não apenas na beleza, mas também na manutenção e na funcionalidade. Uma opção é conseguir a ajuda de um profissional, de acordo com Lilian Zampieri Lima, proprietária da loja Marili Decor. Ela diz que não são raros os projetos em que arquitetos e clientes escolhem os materiais juntos e o resultado fica muito bonito. 


As escolhas aconchegantes, inclusve das cortinas, permeiam o projeto de Carolina e Denise Lea Ribas / Foto: Marcelo Stammer

Já as arquitetas Carolina Leal Ribas e Denise Leal Ribas atentam para que o material escolhido seja adequado para o ambiente em que será instalado. “Uma cozinha, por exemplo, pede materiais de fácil limpeza e que não absorvam gordura. Já para os quartos, o ideal é que eles bloqueiem a passagem de luz. Por esse motivo recomendamos o uso dos tecidos com blackout aliados com cortinas de tecidos mais leves”, orientam as profissionais. 


Se o projeto anterior traduz-se como aconchego, este pode ser lido como elegância. As cortinas longas e de tom dourado dialogam com as demais cores e itens do espaço projetado por Carolina e Denise Leal Ribas / Foto: Gerson Lima

No quesito preço, tudo depende do material escolhido, tamanho e tecnologia. Uma cortina de voil, por exemplo, é mais barata do que uma de seda pura. Materiais sintéticos, no geral, são mais acessíveis. Do lado das persianas, os materiais mais utilizados são tecidos, vinil, poliéster e alumínio. Nos dois casos, é possível instalar sistema de automação e o valor é similar, entretanto. Para completar, Lilian lembra que manter a beleza das cortinas não é mais difícil do que a das persianas. Tudo, novamente, fica a cargo do material em questão. “Tecidos que são mais delicados necessitam de especialistas para evitar que estraguem. Para as persianas, aconselha-se que seja feito uma higienização profissional com lubrificação dos componentes a cada dois anos”.