COMBINAÇÃO DE PISO E RODAPÉ

Confira a seguir tudo o que você precisa saber.

Ao construir, a grande dúvida que surge é como definir o tipo de  rodapé que melhor se adapte ao estilo da decoração e o piso escolhido. Confira a seguir tudo o que você precisa saber.

O rodapé  deixou de ser apenas um acabamento e passou  a ocupar o mesmo grau de importância de um elemento de destaque  da decoração.  A maior novidade, é a de que ele ficou mais alto, chegando a atingir até 40cm de altura, valorizando as paredes e tornando os ambientes mais sofisticados.    

Os rodapés podem alcançar até 40cm de altura. 

 

 

Projeto Caroline Bollmann - Foto Daniel Katz
 
 
Projeto Fabricio Fontolan - Foto Gerson Lima
 

Os rodapés mais utilizados são os brancos e  com  altura  entre 15 e 20cm

Esta mudança da altura do rodapé trouxe maior preocupação no acabamento das portas, já que seu aumento interferiu diretamente na largura das vistas  as quais passaram a ser planejadas e executadas  em escala maior.   

Projeto Realiza Arquitetura - Foto Andrea Paccini
 
 
Projeto Andrea Benthien - Foto Andrea Paccini

Dica: a única preocupação com a largura maior do rodapé é em relação ao encontro entre  rodapé e  vista da porta. Em função das vistas terem uma espessura menor que o rodapé, precisa ser definido um sóculo que faça o acabamento entre eles.   

 

Ao definir-se um modelo de rodapé a dica é criar uma padronização para as principais áreas da residência.  Atualmente os rodapés mais utilizados são os brancos encontrados em MDF laqueado, PVC ou  EPS (poliestireno expandido, um material reciclado),  com aplicação de frisos ou lisos.  Eles combinam com qualquer tipo de piso - madeira natural, laminado, porcelanato, mármore  ou carpete -  e criam uma continuidade visual nas portas. Dica: tomar cuidado quando usar rodapé mais alto, em trabalhar o gesso com pouca aplicação de rodateto ou sancas de contorno, para não carregar na composição e diminuir a sensação do pé direito. 

Projeto Margit Soares - Foto Daniel Katz
 
 
 

O rodapé também pode ser usado como uma extensão do próprio piso,  neste caso a valorização da composição ficará por conta do mobiliário e complementos de decoração.  Os pisos de mármores  podem receber rodapés do mesmo produto com desenhos exclusivos e sob medida. Os porcelanatos, por sua vez, possuem peças exclusivas compondo com o próprio piso escolhido, vendido por  peça.   Neste caso, quer o rodapé seja de mármore ou porcelanato, as portas podem receber pintura branca, sem precisar de um sóculo na junção das peças. 

Projeto Jorge Elmor - Foto Daniel Katz
 
 
Projeto Elaine Zanon e Claudia Machado - Foto Andrea Paccini

 

Também há a possibilidade de executar o rodapé do próprio porcelanato escolhido, cortando-o em tiras na altura desejada, mas isto exige um trabalho de marmoraria, que corta cada peça em 45 graus para dar o acabamento superior.  Dica: Os colocadores podem dizer que este acabamento resolve no emassamento da pintura, mas o resultado final não é tão satisfatório. 

 

Há casos onde o projeto  especifica   manter as portas na tonalidade natural. Para isto  existem 2 soluções para o rodapé:  

1. A primeira é  executar rodapés com a mesma madeira da vista da porta, independentemente do piso aplicado, ou aplicar um verniz tingidor para chegar o mais próximo de sua tonalidade, criando uma única unidade visual.

Projeto Gastão Lima - Foto Rodrigo Ramirez
 
 
Projeto Slomp Busarello Arquitetos - Foto Daniel do Valle

 

2. A segunda é  trabalhar  o rodapé do próprio laminado contanto que não tenha uma diferença muito grande entre tonalidade de piso e porta. Isso fica melhor ainda quando se opta por produtos que oferecem piso e rodapé compostos. 

 

Projeto Patricia Belem Cervi e Venilda Bernard - Foto Carol Sábio
 
 
Projeto Arqtriade - Foto Gerson Lima

  

Nas áreas molhadas  como lavabo, cozinha e sala de banho que estão cada vez menos utilizando revestimento nas paredes, o ideal é trabalhar com um rodapé mais resistente e impermeável em função da umidade, utilizando o próprio rodapé da cerâmica ou na tonalidade do granito ou mármore das bancadas. Mas é importante lembrar que dentro da área do box, os azulejos ou pastilhas ainda são necessários. O mesmo critério deve ser utilizado nas áreas externas de varandas e sacadas.  

Projeto Elaine Zanon e Marcia Fujimoto - Foto Andrea Paccini
 
 
Projeto Elaine Zanon e Marcia Fujimoto - Foto Andrea Paccini
 
Projeto Andrea Benthien - Foto Andrea Paccini

 


Consultoria: arquiteta Andrea Benthien
Matéria adaptada da revista Casa Sul, edição 51