Camuflagem

Um dos grandes desafios dos profissionais de arquitetura e decoração ao executar um projeto, camuflar cabos eletrônicos e outros itens, fazem da marcenaria uma grande aliada

Camuflar o que não se deseja no espaço pode não ser uma tarefa fácil. A arquiteta Ana Lívia Werdine lembra que em um de seus projetos se viu diante do dilema. “Os clientes, um casal, discordavam quanto ao local da TV na casa. O marido queria o aparelho na sala, já a esposa, não. A solução foi deixar a TV nesse ambiente mesmo, porém, escondida atrás de um painel”, conta. 

A arquiteta Ivana Seabra também recorreu à marcenaria para deixar camuflado o escritório e a cozinha de um ambiente residencial. “Utilizei painéis, como portas de correr, para esconder esses espaços. Com essa solução, o cliente ganhou ainda a opção de integrar, quando lhe for conveniente, a cozinha e o escritório à área social da casa”, conta. “Quando não quiser a interação, basta puxar os painéis”, salienta. 

A marcenaria pode ser parceira também nos projetos comerciais. Michele Salvador, proprietária da loja Objeto Design, lançou mão desse recurso em um de seus trabalhos corporativos, utilizando um painel de correr para camuflar uma cozinha da área comercial da empresa. “Painéis são itens que vêm demonstrando uma tendência de crescimento. São uma ótima opção para manter a privacidade, sem eliminar a integração”, pondera. 

Como usar? 

As profissionais dão dicas para quem está pensando em utilizar a marcenaria com esse objetivo. “Antes de usar esse recurso, é preciso saber exatamente o que gostaria de esconder de maneira esporádica no espaço. A partir dessa definição, um designer deverá ser contratado para que possa criar algo sob medida para atender determinada solicitação”, ensina Ivana. 

Já Ana Lívia explica como escolher o material certo na hora de camuflar objetos com a marcenaria. “Como a intenção é passar despercebido, o material deve ser condizente com o restante da decoração. Se estamos utilizando painéis de madeira, por exemplo, o melhor é seguir a mesma linha nestes 'esconderijos' também”, destaca. 

 A marcenaria, segundo Michele, atende principalmente aos critérios de estética e funcionalidade. “No passado, o cliente recebia seu imóvel e simplesmente dispunha ali seus móveis, mas hoje ele está mais preocupado com o bem-estar dentro de casa. O mesmo acontece nos ambientes corporativos, em que a preocupação é tornar o ambiente o mais agradável possível”, reforça.